Análise: The Witcher

03/01/2020 15:23
   

The Witcher não é tudo isso! Mas não deixa de ser bom!

 

Sim, é isso mesmo, para mim The Witcher não é tudo isso que estão falando! Não é e não deveria ser, se a ideia é comparar pau a pau as séries! Estamos agora em outra prateleira, em outro estilo, outra pegada. Não dá para comparar. Relacionar a Game of Thrones então é o cúmulo da injustiça, ainda mais somada a afirmação: “faz GOT parecer horrível”. Oi?

 

Sem muito pensar, vejo elementos semelhantes desta mesma toada nas outras (menos?) badaladas séries: Vikings, The Last Kingdom, Knightfall; e os filmes consagrados como Senhor dos Anéis, O Nome da Rosa, Highlander, Rei Arthur e Os Cavaleiros da Távola Redonda, Joana D’Arc, Coração Valente, Robin Hood. A lista poderia continuar!

 

Concordo que a divulgação e o investimento do Bruxo foi uma jogada pesada: único protagonista e ainda famosão, fora o elenco de ponta, cenários, fotografia, efeitos especiais etc., talvez iniciamos uma nova era no mundo dos streamings! Fãs do game da CD Projekt e dos livros, como o Fábio Silvestrini, afirmam que as cenas são fiéis ao escritor polonês Andrzej Sapkowski.

 

Os oito episódios passam voando. Quem começou a história e desanimou um pouco, se não leu spoilers como eu, demora um tempo até entender que são narradas 3 histórias paralelas: Geralt de Rivia (Henry Cavill, por sinal muito bem no papel do bruxo), Yennefer de Vengerberg (Anya Chalotra) e Cirilla Fiona (Freya Allan). Quando a coisa fica boa e parece que daí sim vai engrenar… acaba a temporada. Jaskier (Joey Batey) quebra o gelo como um bardo e poeta, acompanhante do seu alaúde, um dos personagens mais divertidos.

 

E vai continuar só em 2021, sério isso Netflix? You tá de brincation with me, cara?

 

E para não dizer que deixamos de comparar GOT e The Witcher, na minha humilde opinião GOT foi vanguarda, mas pecou em não manter o ritmo das primeiras temporadas, além de que o encerramento foi abaixo do esperado (ou não causou aquela surpresa que sempre causava). As duas tramas, junto a outras que citei acima, só se assemelham no desafio de nos trazer novas adaptações televisivas de boas e consagradas obras literárias, aquele tom medieval, roots e fictício, permeado de intrigas políticas, doses cavalares de violência e cenas sinistras, nudez, sexo e profecias apocalípticas.

 

Concorda ou discorda? Posicione-se!

 

The Witcher

Lançamento: Dezembro 2019

Emissora: Netflix

Elenco: Henry Cavill/ Anya Chalotra/ Freya Allan/ Joey Batey

Nota: 9/10 (com chance de 10, amém!)

Wagner Botelho
Sobre o autor
- é formado em filosofia (sim, isso mesmo! rs), divide sua paixão entre as séries, filmes, games e família. Estudioso sobre as religiões e as juventudes, gosta de conversar, interpretar e (re)significar a religiosidade em suas diferentes manifestações, linguagens e paisagens presentes nas culturas e nas sociedades.