Análise | Fling to the Finish

Esse é um jogo de corrida no qual dois personagens são amarrados por um elástico e precisam chegar o mais rápido ao fim da colina, mesmo o jogo não tendo uma história, é um jogo para divertir a família ou os amigos.

 

Com a física de um bate-bate o jogo consegue alegrar o mais bobo de nós, mas só por alguns minutos… mesmo que o jogo tenha alguns modos diferentes, parece que nada muda…

 

Brinquedo barulhento volta a fazer sucesso entre crianças e adolescentes | Campinas e Região | G1

 

pelo menos com essas bolinhas eu só machucava minhas mãos, nesse jogo você irá sofrer mentalmente para concluir as fases…

 

O jogo tem uma mecânica estranha e os comandos são mais estranhos ainda, acredito que a ideia do jogo é ser complexo, mas não acredito que tenha conseguido.

 

Em alguns momentos o jogo me lembrou Rock Of Ages com a ideia de descer a montanha/morro/colina ou até mesmo Ibb & Obb com a mecânica de controlar dois personagens ao mesmo tempo, provavelmente o jogo tem alguma inspiração em um desses jogos.

 

Ao jogar sozinho você irá controlar a dupla sozinho, isso é meio confuso pois usar o mouse para controlar uma das bolinhas meio que bloqueia o seu cérebro para que esqueça ao menos uma das bolinhas, e eu não consegui mudar os comandos para que a dupla fosse controlada inteiramente pelo teclado, acho que se fosse possível, seria muito mais fácil de controlar…

 

 

 

 

Os mapas são muito bem feitos e realmente dão a sensação de desafio, com alguns obstáculos bem complexos, como pular de um tronco de madeira para outro, e também temos os mais simples como bombas e lazers.

 

 

 

 

Mesmo que os mapas sejam muito bem feitos, eu tenho a sensação que eles deveriam ser menores, pois parece que eles são muito longos, ainda mais com alguns dos obstáculos que aparecem…

 

 

 

 

Os personagens são bem variados, desde insetos como abelhas e lesminhas até cogumelos e frutas, mesmo que sejam fofinhos não conseguem motivar…

 

 

Mas se tem uma coisa na qual esse jogo é bom, é o multiplayer… temos até acesso ao remote play da Steam no qual apenas uma pessoa precisa ter o jogo para dividir os comandos e ao testar o jogo se mostrou muito melhor para jogar online com os amigos do que apenas sozinho…

 

 

 

 

Eu acredito que o jogo possa ser muito divertido caso seja jogado com várias pessoas ao mesmo tempo, mas sem um modo online, com salas criadas automaticamente isso se torna bem difícil… pois não vi muitas pessoas com o jogo no pc, e no Nintendo switch que seria a melhor opção para esse tipo de jogo é muito caro por causa do dólar… assim não dá né Biden! Na verdade, eu acredito que o jogo tenha sido feito para o Nintendo switch pela ideia de dividir o controle! E mesmo assim não encontrei na loja da Nintendo.

 

Mas ao jogar o jogo sozinho, se torna entediante, ou até mesmo chato, principalmente conseguir os objetivos das fases

 

O jogo custa R$39,00 reais na Steam comprem o jogo e deem suporte, para que ele possa crescer e melhorar

 

 

 

Nota:  5/10

Data de lançamento inicial: 2020

Desenvolvedor: SplitSide Games

Plataformas: Nintendo Switch, Android, Microsoft Windows, Mac OS

Projetistas: Ryan McMahon, Andre Edgarian

Estúdios: Daedalic Entertainment GmbH, N-Dream

Análise | Fling to the Finish

Sobre o autor
- Viciado em games, doces de padaria, animes, HQs e mangás. Johnny é formado em tecnologia e atua no mercado educacional, mas com muito tempo dedicado ao videogame!